Gerador Aleatório de Texto – I – Me aventurando em trilhas sonoras.

por inquietar

======================= AVISO =======================

O texto a seguir foi composto por motivo de muito tédio utilizando a adaptação de uma milenar técnica estudantil para passar o tempo. A técnica original consiste em solicitar palavras aleatórias para as pessoas ao seu redor e reorganizar essas palavras num texto que faça sentido de forma a ocupar o espaço de um aula tediosa. Nessa adaptação, selecionei 05 frases (as frases que abrem cada parágrafo) em cinco postagens da minha timeline no facebook. A sexta postagem forneceu a frase que dá título ao texto. Trata-se de uma avançada técnica de procrastinação e não deve ser praticada no trabalho sobre risco de você deixar suas obrigações para a última hora. O texto – bem como esse aviso – não pretendem fazer sentido. Leia por sua própria conta e risco. 

======================= FIM DO AVISO =======================

 

Me aventurando em trilhas sonoras 

Ler dá sonhos. É verdade, foi um livro que me trouxe até essa encruzilhada: “Como ultrapassar as limitações do espaço e tempo se locomovendo através de ondas sonoras”. É um título longo, eu sei, mas consegui comprá-lo por apenas R$ 9,90 numa promoção de supermercado. Agora eu estou parado no ponto H, esperando a frequência correta que me levará a aventuras inimagináveis.

 

Navegando ali e lá reparei que é bem mais difícil circular por ondas sonoras do que o livro fazia parecer. Também é difícil se orientar: pelos meus cálculos em breve completarei um ano de travessia. Não tenho ideia de como voltar para casa. Entendo agora porque o livro estava tão barato; na prateleira ao lado havia um GPS por 1.119,00. Achei demasiado caro. Deveria ter comprado. Será que eles aceitam encomendas via telefone?

 

Na primeira anuidade do “Gpastor – conversor de ondas sonoras em ligações telefônicas” me arrependi enormemente de não ter ativado o roaming-outras-dimensões do meu plano de celular. Impressionante como as companhias de cobrança conseguiam me encontrar mas eu não conseguia achar o caminho de casa ( a parte boa é que também não encontrava uma lotérica para pagar as faturas). Pelo menos consegui comprar o GPS. Ainda não entregaram. Será que ficaram perdidos?

 

O meu abraço adiado finalmente pode ser realizado. Depois de percorrer vários timbres e frequências diversas finalmente consegui voltar para casa. Voltei com dívidas astronômicas, quilos de exaustão e histórias estranhas para contar.

 

Como saber se o que sinto é real ou ilusório? Não me pareço mais com a pessoa que eu era antes de partir. Nada em casa me apetece mais. Hora de partir. Será que há algum livro em promoção? 

 

Anúncios