O cheiro do ralo – Heitor Dhalia

por inquietar

Sinopse: Lourenço (Selton Mello) é o dono de uma loja que compra objetos usados. Aos poucos ele desenvolve um jogo com seus clientes, trocando a frieza pelo prazer que sente ao explorá-los, já que sempre estão em sérias dificuldades financeiras. Ao mesmo tempo Lourenço passa a ver as pessoas como se estivessem à venda, identificando-as através de uma característica ou um objeto que lhe é oferecido. Incomodado com o permanente e fedorento cheiro do ralo que existe em sua loja, Lourenço vê seu mundo ruir quando é obrigado a se relacionar com uma das pessoas que julgava controlar.

Meu comentário sobre o filme: vi sentada no chão na minha primeira ida ao Festival de Cinema de Tiradentes. Tenho afeto por esse filme. Vi meio sem expectativa não conhecia o Lourenço Mutarelli na época e apostei que devia ser um filme minimamente razoável porque tinha o Selton Mello e ele não escolheria um filme ruim para fazer (o tempo iria desmoronar essa teoria). Só que o filme é simplesmente fantástico, hilário de doer a barriga. Também é angustiante e deixa marcas: a gente sai do cinema pensando na relação bizarra do protagonista com coisas e pessoas e no poder que ele representa. É um filme que fixa na cabeça e te faz remoê-lo por algum tempo. Tem personagens maravilhosos perfeitamente interpretados pelo elenco.

Anúncios