Cronograma – elaboração de projeto via Incentivo fiscal federal (lei rouanet)

por inquietar

– ter uma idéia

– entrar em contato com os possíveis financiadores. Além de pegar o valor que a pessoa/empresa pretende doar, pegar também os dados necessários para emitir o recibo. Caso a pessoa esteja desesperada para doar o dinheiro (isso vai acontecer algum dia?), pegar o dinheiro e depositar numa poupança. Mesmo que o projeto não tenha sido aprovado, não tem problema a pessoa dar o dinheiro antes, desde que a previsão para aprovação do projeto seja no mesmo ano fiscal.

– definir o montante máximo que o projeto pode obter. Desenhar as metas do projeto de forma que possam ser cumpridas com 60% do mont. max. (porque nem todo mundo que concorda em doar de fato doa. E nem todo mundo que doa, doa o máximo que pode).

– definir a equipe que trabalhará no projeto. Elaborar o projeto a partir do orçamento dessas pessoas. Superfaturar em 10% os valores propostos, caso a pessoa desista e seja preciso negociar com outro (ou caso tudo fique mais caro mesmo). Não aceitar orçamentos baseados em amizade e totalmente deslocados dos valores de mercado, pois a pessoa pode não poder trabalhar no projeto e a função ficar pendente.  

– mandar o projeto pro Minc e aguardar aprovação.

– assim que publicada a portaria entrar em contato com os financiadores e recolher as doações. Recolher as doações em cheque ou dinheiro. Se não for possível, mandar o financiador fazer transferência para a nossa conta. Depósitos na conta do MinC só o proponente ou coordenador do projeto faz.    

– entrar em contato com a equipe que trabalhará no projeto. Distribuir funções, definir prioridades. Determinar alguém para ser responsável pela tomada de decisões.

– iniciar o trabalho. Evitar ao máximo mudanças no calendário ou nas metas.

– Tentar manter os recibos e NF atualizados e reunidos.

– Finalizar o projeto.

Anúncios